Fotos feitas durante o programa Revelando São Paulo Vale do Paraíba 2013 no parque  da Cidade, em São José dos Campos.

Cultura tradicional ganha mapa com mais de 50 manifestações populares em São Paulo

Há sempre uma cultura tradicional onde há vida social razoavelmente articulada, diz o estudioso Alfredo Bosi, lembrando que a cultura popular se caracteriza pela espontaneidade, sentimento e coerência. Batuque, Catira, Cavalhada, Folia de Reis, Jongo, Pesca Artesanal, Trança Fitas… mais de 50 manifestações do folclore e cultura popular em São Paulo agora podem ser achados em um novo mapa do patrimônio imaterial do Estado, como espelho desse universo que resiste aos tempos e se renova.

O conteúdo disponível em http://abacai.org.br/patrimonio_imaterial/ traz ainda uma análise sobre a formação dessa identidade cultural, cujos modos de ser e fazer são, em geral, inseparáveis da relação com a natureza:

“Nem mesmo a industrialização e a urbanização, ou mesmo as investidas massivas das grandes redes de comunicação e da indústria cultural, foram capazes de assinalar de vez o fim das expressões culturais identitárias, como se preconizava tempos atrás.

Fotos feitas durante o programa Revelando São Paulo Vale do Paraíba 2013 no parque da Cidade, em São José dos Campos.
Fotos feitas durante o programa Revelando São Paulo Vale do Paraíba 2013 no parque da Cidade, em São José dos Campos.

As manifestações populares, de modo geral, mudam de nome, adaptam-se aos novos tempos, novas situações, ganham apelidos – mas nunca desaparecem. As formas mais espontâneas de divertimentos e expressão de contentamento, de religiosidade, as soluções caseiras para os problemas e dificuldades que se apresentam no dia a dia, não foram descartadas.

As manifestações nele assinaladas foram pinçadas no domínio da tradicionalidade e contempladas não como simples sobrevivências do passado, mas como resultantes do aprendizado que se dá pela interação social, possuindo dinâmica própria, transformando-se, atualizando-se, de forma lenta, fora do ritmo vertiginoso das expressões massivas, não importando o nome que se lhe queira dar.

Cultura, viva e dinâmica, por meio da qual se exprime a vida do homem e que diz respeito aos modos de ser, viver, pensar e se expressar de extensa parcela dos paulistas e paulistanos de todas as classes sociais, um grande número de práticas culturais estruturadas em suas vivências cotidianas e em suas manifestações simbólicas.

Constituindo-se numa faixa cultural fora do âmbito das instituições de ensino, da cultura escolar e da cultura para as massas. Uma faceta de São Paulo, a que chamamos de recatada, desconhecida de todos, e que aos poucos vimos revelando.

Para dirimir dúvidas citamos as Festas. Foram contempladas aquelas de motivações profanas ou religiosas que se mantêm em função da cooperação de toda uma comunidade, organizadas com a participação também de toda a comunidade. São as “festas que o povo se dá”, no dizer de Peter Burke.

Fatos sociais complexos, conjuntos de cerimônias, de rituais coletivos, em que se inserem de forma espontânea os nossos folguedos, e em que durante sua realização as pessoas não são meros observadores, consumidores, mas sujeitos das ações. As comunidades se envolvem em todas as suas etapas: na preparação, durante a fase cerimonial/ desfrute (ao mesmo tempo de fruição e de atuação), no rescaldo e retorno à rotina.

Todas as informações contidas neste mapa foram coletadas em campo ou em várias formas de trocas/ contatos com pessoas das comunidades envolvidas e foram checadas durante sua preparação.”

As principais expressões da cultura tradicional de São Paulo são:

Batuque
Boizinhos
Dança de Santa Cruz